Cor e luz

A perceção das cores está intimamente ligada ao tipo de luz emitida.
Deste modo, num projeto de decoração, e para a escolha das cores, deve ser tido em conta o tipo de luz, natural ou artificial, presente no seu espaço.
 

Se observarmos a luz natural a penetrar numa divisão

descrição da imagem

ORIENTAÇÃO NORTE

Os tons quentes permitem aquecer o ambiente ofuscado por uma luz natural fria e os tons claros permitem a entrada de luz na divisão.
 

descrição da imagem

ORIENTAÇÃO SUL

A luminosidade é máxima e intensifica as cores. A utilização de cores frias permite acalmar uma exposição demasiado quente.

descrição da imagem

ORIENTAÇÃO ESTE

A luz do amanhecer pode intensificar as cores: utilize tonalidades claras para suavizar o ambiente.

descrição da imagem

ORIENTAÇÃO OESTE

A luz do entardecer torna as cores mais quentes em geral. É possível atenuar estes ambientes utilizando tonalidades neutras quentes (as cores frias correm o risco de parecer acinzentadas).

O mesmo sucede com a luz artificial: a escolha não é neutra na reprodução de cores.

O branco quente é semelhante às nuances da luz natural quando o sol começa a descer durante a tarde. É uma luz suave, relaxante e agradável que favorece especialmente as cores quentes. Adequado para todas as divisões dedicadas ao convívio e para os quartos. 

O branco frio é semelhante à luz do sol do meio-dia. É uma luz forte e estimulante que oferece uma reprodução de cores muito precisa. Uma boa escolha, sobretudo em espaços de trabalho como, por exemplo, oficinas ou cozinhas industriais. 

Em ambos, a luz branca neutra é ideal para locais de passagem, corredores, cozinha ou casa de banho que necessitem de iluminação natural e direta.